Nome da Liderança: Maria Domingas dos Santos (Dona Dominga)

Endereço: Rua Águas Claras, s/n, Tomba, Lençóis, CEP 46960-000, Bahia

Contatos: Telefone: 075998779603

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Facebook: https://www.facebook.com/Reizado-Zabumba-dona-dominga-107088164529685/

Pequeno histórico do grupo e da liderança:

Maria Domingas dos Santos, conhecida como Dona Dominga, começou a cantar Reis em 1979 por uma promessa de sua mãe, depois de sobreviver a um tiro, aos 28 anos de idade. Ela vivia em Andaraí, onde nasceu, e estava grávida de oito meses, quando levou um tiro por conta de uma briga entre dois homens. Vinha do rio com o filho mais novo de 4 anos, com uma bacia de prato na cabeça, a barriga grande. Em meio à troca de tiros entre os homens, foi atingida por uma bala nas costas, que atravessou sua barriga e matou seu filho. Foi hospitalizada e sua mãe fez a promessa de que, se sobrevivesse, ela iria cantar reis nas Lapinhas todos os anos, enquanto tivesse vida. Ela lhe disse “Vai cantar reis da Lapinha e da Igreja primeiramente, e depois fazer as caminhadas nas casas”. 

Antes Dona Domingas e seu marido Antônio já acompanhavam um terno de um senhor chamado Pitucha (chamado Caminhada da Felicidade) e sua mãe, Ana Francisca Ferreira, também tinha um terno, chamado Reis do Zabumba. Os instrumentos deste terno são só as gaitas (flautas) e percussão (zabumba, tambor e pandeiro, ganzá, palminhas de madeira). Quando Dona Dominga começou a trabalhar, adotou o nome do terno de sua mãe, que pouco tempo antes tinha parado de cantar reis, por motivos de saúde. 

Em 1999, após 20 anos trabalhando em Andaraí, veio para Lençóis, porque tinha uma promessa para Senhor dos Passos. Era casada com um lençoense, Antônio Pereira da Silva, e acabou ficando nesta cidade. Desde que seu reisado começou a trabalhar, cantou Reis em Campos de São João, Boninal, Palmeiras, Tanquinho, e várias localidades rurais (Pau de Colher, Remanso, Brongo). 

Ao sair em caminhada, o primeiro lugar que o seu Terno visita no dia 25 de dezembro é a Igreja do Rosário, canta na porta, depois canta dentro o de Deus Menino da Lapinha. Em seguida passa nas casas, e por último na porta da Igreja de Nosso Senhor dos Passos, retornando para o Tomba, bairro onde vive. A caminhada se estende de 19 hs até 4 da manhã. De 25 a 31 de janeiro, o Terno sai nas ruas de Lençóis. Do dia 31 até 06 de janeiro, sai para a caminhada na zona rural e outras cidades. No dia 06, ela faz a reza na sua casa, onde tem o altar dos Três Reis Magos. Primeiro bate o Reis na porta, depois entra e vai rezar no altar. Depois da reza, acontece o samba até as 4 da manhã.

Em 2019, aos 96 anos de idade, faleceu seu esposo Antônio. Mesmo assim, Dona Domingas, hoje aos 73 anos de idade, superou e segue adiante com seu Reis, deixando a grande lição: “O Reis é alegria. As coisas ruins a gente tem que deixar pra trás, pras águas levarem”.